Por que é necessário manter os dentes de leite do seu filho bem tratados?

É de extrema importância que os dentes de leite sejam cuidados com a mesma atenção que os dentes permanentes. Porém, muitos pais ainda acreditam que não existe a necessidade de cuidar dos dentes de leite, já que vão cair um dia. O primeiro ponto que a que devemos atentar é no sentido de que as crianças que não desenvolvem, desde cedo, hábitos saudáveis com relação aos dentes de leite, manterão os mesmos hábitos para com os dentes permanentes.

Em algumas crianças, os dentes aparecem bastante cedo, enquanto que, em outras, esse processo demora mais tempo. No entanto, por volta dos dois anos e meio de idade, as crianças já devem ter 20 dentes na boca, 10 na arcada superior e 10 na inferior. No caso de a criança chegar aos 3 anos sem essa quantidade de dentes, é necessária uma consulta ao odontopediatra.

Dentes de leite bem tratados contribuem para a prevenção de cáries, criando um ambiente saudável para os dentes permanentes, além de influenciar na fala, desenvolvimento dos ossos maxilares e dos músculos faciais, autoestima das crianças e auxílio na digestão adequada dos alimentos.

Assim, é preciso que os pais estejam convencidos da importância dos cuidados aos dentes de leite de seus filhos.

Tudo sobre o aparelho móvel de contenção ortodôntica

Uma pergunta muito comum nos consultórios de ortodontia é se, após o uso de aparelho fixo, é realmente necessário o uso da contenção ortodôntica.

         A contenção ortodôntica é uma tentativa de minimizar a ação dos diversos fatores que influenciam a movimentação indesejada dos dentes após o tratamento com o aparelho fixo.

Antes do início do uso dos bráquetes, os dentes apresentam-se em estado de equilíbrio entre as forças oclusais e musculares. Quando esse equilíbrio é quebrado durante o processo de reposicionamento dos dentes, é necessário que atentemos às forças musculares dos lábios, das bochechas e da língua, assim como aos hábitos comportamentais do paciente, como a fala e a alimentação.

A partir do diagnóstico da origem do desvio de posicionamento dental, é possível trabalhar as funções na região bucal para readaptá-las à nova posição dos dentes. Dessa forma, a probabilidade de o tratamento ortodôntico regredir, após a retirada do aparelho fixo, diminui significativamente.

A contenção móvel, por sua vez, trabalha no sentido de continuar diminuindo a probabilidade de os dentes voltarem a ser tortos. A readequação de suporte do dente, como os ossos e gengiva, precisa de tempo para se remodelar após o tratamento com os bráquetes. Por isso, é extremamente importante o uso da contenção, visto que ela minimiza o efeito de todas as variáveis que trazem instabilidade aos dentes que foram reposicionados.

Cuidados que você precisa tomar se tem dentes sensíveis

Se você é do tipo de pessoa que sente uma pontada nos dentes quando toma sorvete ou quando tenta apreciar uma xícara de chá ou de café quente, é importante que o seu caso seja acompanhado por um dentista, na tentativa de descartar a possibilidade de se ter cárie ou um dente fraturado.

Podendo variar de uma pontada ocasional a dores frequentes, o problema da sensibilidade dental é, na verdade, bastante comum devido a uma variedade de fatores. Como exemplo, podemos mencionar a gengiva que se afastou dos dentes (recessão gengival) conforme a pessoa envelheceu ou o esmalte dental que se tornou fino por causa do desgaste, que, por sua vez, expõe a superfície da raiz dos dentes, causando os sintomas de sensibilidade.

Outras possíveis causas podem ser a escovação com aplicação de grande força, levando a um desgaste no esmalte ou retração gengival, o desenvolvimento de gengivite, irritação temporário pelo uso de produtos de clareamento dental, o ranger involuntário dos dentes, a ingestão de alimentos ou enxaguantes bucais ácidos, entre outros.

Assim, é muito importante consultar o dentista para saber qual é a melhor forma de tratar os dentes sensíveis. O profissional também vai determinar se o paciente precisa ou não de aplicação de flúor ou selante bucal, assim como o uso de creme dental dessensibilizante.

O que esperar do Clareamento Dental?

Ao buscar o serviço de clareamento dental, é importante estar esperando pelo melhor tom de clareamento, mas que também aparente ser natural. A pergunta que muitos se fazem é sobre quantos tons é possível clarear os dentes após o processo, e a resposta é DEPENDE.

Existem fatores que podem ser controlados, como a escolha do método clareador e o princípio ativo no produto, e fatores que independem do paciente, como a cor dos dentes anterior ao tratamento e a resposta deles ao clareamento. Assim, é difícil estabelecer uma faixa de tons fixa de clareamento para todos os pacientes, visto que depende de fatores não controláveis.

Além disso, manter em mente que a maioria dos clareamentos não são permanentes é extremamente importante. Pessoas que não fumam ou consomem café ou chá costumam não notar diferença na coloração pós clareamento por até cinco anos. Porém, na maioria dos casos, as pessoas encontram dificuldade para abandonar da rotina o café, refrigerantes, vinhos, chá, etc, e, por isso, acabam precisando de retoques com maior frequência.

Saiba mais sobre as origens do mau hálito

Todos já tiveram, alguma vez na vida, ou têm mau hálito. De acordo com a Associação Dental Americana, uma das formas de se prevenir a halitose é conhecendo as suas causas. Assim, abaixo explicamos um pouco sobre como é contraído o mau hálito.

Geralmente, o mau hálito é iniciado na boca, através da má higiene bucal. Não manter uma rotina frequente de escovações permite a acumulação de partículas de alimentos na superfície da língua, entre os dentes ou no tecido gengival envolto nos dentes. Dessa forma, as bactérias que habitam, naturalmente, na boca quebram tais partículas e liberam substâncias químicas com forte odor.

Além disso, quem sofre de boca seca não consegue contar com a remoção adequada pela saliva das partículas alimentares da boca. Consequentemente, pessoas que têm boca seca costumam ter um risco maior de desenvolver a halitose.

Outras formas de contração do mau hálito são infecções na boca, como cárie, doenças periodontais, feridas, algum problema de saúde, ou má alimentação. Ingerir alimentos como alho e cebola ou manter uma dieta rica em proteínas e açúcares foram associadas ao mau hálito.

Assim, a melhor forma de se combater a halitose é mantendo uma higiene bucal adequada, que vai ajudar a limitar o acúmulo de resíduos de alimentos e placa e diminuir o risco de desenvolvimento de cárie e doença periodontal.

Descubra como manter a saúde bucal dos seus filhos

Uma das causas mais comuns de visitas de crianças ao dentista é o aparecimento da cárie. Ensinar o seu filho desde pequeno a cuidar dos dentes é um investimento para a toda a sua vida, evitando com que problemas como a gengivite, tártaro e o mau hálito também venham a surgir. Assim, recomenda-se que, desde pequenos, os pais tenham o hábito de escovar os dentes junto dos filhos e repetir sempre sobre a importância da escovação.

Fatores básicos para ensiná-los correspondem à frequência de escovação de 3 vezes ao dia, o uso diário de fio dental a partir dos 4 anos de idade e o não exagero ao ingerir alimentos com muito açúcar e amido.

Técnicas de escovação para crianças:
1) Não exagerar na quantidade de creme dental e tomar cuidado para

não engolir;

2)  Opte por escovas com cerdas macias;

3)  Escovar as superfícies interna e externa dos dentes no sentido gengiva-dente, frente-trás;

4)  Escovar as superfícies de mastigação em sentido para frente e para

5)  Usar a ponta da escova para limpar atrás de cada dente.